O primeiro dia em Luang Prabang

Apesar da chegada atribulada, bastaram os primeiros raios de sol para começarmos a sentir as boas energias desta cidade. Fomos muito bem recebidos, por pessoas simpáticas e hospitaleiras numa cidade em que reina a calma e a harmonia.

A previsão do tempo para os dias seguintes não era animadora, grande probabilidade de chuva e trovoada…mas o simpático anfitrião da guesthouse que nos acolheu, tranquilizou-nos com uma lenda: todos os anos durante esta altura, o Buda do Wat Xieng Thong é retirado do interior do templo e colocado no exterior. Diz a Lenda, que no dia em que é retirado do templo é dia de tempestade (estávamos em Vang Vieng) e que no período em que permanece fora do templo…não chove. Nós acreditámos, e o Buda cumpriu a sua parte contra todas as previsões diárias de sites consagrados.

Luang Prabang fica entre dois rios, o Mekong e o Nam Khan, e existem várias pontes de bambu (que são desmontadas na época das monções) para atravessar entre as margens. Depois do reconhecimento durante a manhã, e por recomendação do nosso anfitrião, optámos por almoçar no Dyen Sabay, um restaurante do outro lado da margem do rio Nam Khan. Um lugar super agradável e relaxante com a companhia de vários tipos de borboletas, e boa comida (experimentámos um fondue tradicional do Laos).

Dica: para chegar ao restaurante é necessário atravessar a ponte de bambo que custa 5000 kips por pessoa.

Durante a tarde visitámos dois dos principais pontos turísticos da cidade, o Museu do Palácio Real e o Monte Phou Si. O Palácio Real tem um jardim grande e agradável, que também alberga um templo majestoso, no entanto, o Museu do palácio em si, na nossa opinião, deixa um pouco a desejar.

Dica: a entrada no jardim que inclui o templo é grátis, mas o acesso ao museu custa 30 000 kips por pessoa. É obrigatório ter os joelhos e ombros tapdos e não é permitido tirar fotografias.

Templo do Palácio Real

Templo do Palácio Real

O Monte Phou Si alberga um templo no topo, e apesar da subida te sido um pouco custosa com o calor que se fazia sentir, do topo temos uma vista magnífica de toda a cidade. Vale mesmo a pena subir e apreciar toda a paisagem!

Dica: a subida ao Monte Phou Si custa 20 000 kips por pessoa e na nossa opinião é mais fácil subir pelo lado Norte que tem as escadas mais espaçadas, e descer pelo lado Sul onde se podem encontrar mais Budas pelo caminho.

Vista do Monte Phou Si

Vista do Monte Phou Si

O pôr-do-sol é mágico em qualquer parte do mundo, e em Luang Prabang não é exceção! Na ponta da península existe mais uma ponte de bambo para atravessar para a outra margem, de onde conseguimos aproveitar este momento mágico do dia, ao longo das montanhas e do Rio Mekong.

Dica: a passagem nesta ponte de bambu custa 7000 kips por pessoa, mas a senhora acabou por nos cobrar apenas 5000 kips 🙂

Ponte de Bambu no Rio Mekong

Ponte de Bambu no Rio Mekong

Pôr-do-sol no Rio Mekong

Pôr-do-sol no Rio Mekong

Depois de um agradável jantar no Coconut Garden, perdemo-nos pelas barraquinhas infindáveis de roupa, artesanato, e de tudo e mais alguma, do Night Market.

Dica: negociar sempre muito bem os preços, carregar no repelente e ir cedo, pois a partir das 22h a maioria das barraquinhas começam a recolher (é também uma boa altura para fazer bons negócios).

Luang Prabang

Até amanhã Luang Prabang!

Sun & Sea

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s